Arquivo da categoria: Saúde

Lanchinho em perigo

Captura de Tela 2013-03-18 às 12.46.06Durante muito tempo vi imagens de fungos em caixas de alguns sucos de caixinha em perfis de amigos no facebook, mas nunca levei muito a sério (afinal, não acreditamos em tudo que sai por ai),  mas essa semana sairam várias reportagens falando sobre o suco ADES (abaixo alguns links para consulta).

Parece que além dos tais fungos nesses sucos de caixinha, agora saiu um lote de ADES maça com produto de limpeza. O caso é tão sério que além do recall, o produto foi proibido de ser produzido e comercializado.

Resolvi dar minha opinião a respeito desse assunto:

Quem nunca colocou um suco de caixinha na lancheira do seu filho que atire a primeira pedra.

Sou mãe e tenho algumas preocupações com a alimentação dos meus filhos, nada radical, muito pelo contrário sou bem tranquila. Eles não sabem o que é refrigerante, pois realmente não acredito que isso tenha algum beneficio para qualquer ser humano, para uma criança. Já me arrepiei em ver algumas mães colocando coca-cola em mamadeiras. AFF. Mas esse não é o ponto.

O que me incomodou nisso tudo, foi que na nossa cabeça, sucos são saudáveis, certo? Pois é, mas não sucos em caixinha.

Suco faz bem à saúde, isso já sabemos, certo? Mas com a correria do dia a dia e a facilidade de se “comprar saúde” em qualquer supermercado sem nem precisar guardar na geladeira, nos fez fazer escolhas erradas. Esses sucos de caixinha (não só o ADES e sim TODOS) contém um alto nível de sódio e muito açucar, ou seja, quando pedimos um suco desse e não uma coca cola por exemplo, estamos praticamente trocando seis por meia dúzia. Esses sucos são para emergência e não para ser consumido todos os dias. Eu sei disso e você também, mas na correria acabamos optando por esse tipo de bebida.

Eu não sou nutricionista e muito menos radical alimentar. Eu e meus filhos comemos de tudo (coisas boas e saudáveis, porcarias industrializadas, pizza e muito chocolate), mas acho que estamos substituindo os sucos naturais em casa e nas lancheiras dos nossos filhos por algo que achamos ser uma boa opção. E não é.

Existem vários sucos hoje em dia em embalagens de vidro e  vendidos em poupa que são ótimas opções. (mais caros, mas vale a pena)

É claro que vamos continuar dando sucos em caixinha para nossos filhos, afinal, quem hoje em dia pode as 7 da manhã todos os dias e preparar uma super vitamina de frutas para o seu filho? Mas não podemos por falta de tempo fechar os olhos e enfiar tanta porcaria nas crianças.

Uma boa opção é mandar um chá ou algo assim e frutas para a criança comer na hora do lanche.

Tenho amigas que não dão 1 brigadeiro para o filho (“não quero que ele coma doce”), ok, mas a quantidade de açucar que ele está ingerindo com esse tipo de suco? Hora de refletir.

Aqui estão algumas reportagens que li sobre o assunto e que podem interessar:

Crescer

G1

UOL

SUPER DUPER

ESTADÃO

Comunicado da ADES sobre o caso: http://www.ades.com.br/imprensa/ades-comunicado-importante

url-1

Captura de Tela 2013-03-18 às 13.17.30

Imagem retirada do blog Super Duper

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Alimentação, Depois, Saúde

Um clube para chamar de seu

Clube

Já escrevi aqui o quanto foram difíceis os primeiros meses com os bebês.

Sempre que possível eu fugia para praças e parques para o tempo passar mais rápido e para ver se eles cansavam um pouco.

Shoppings também eram o meu refúgio. Principalmente aqueles com espaço para bebês e crianças. Adorava ir ao Morumbi, Iguatemi e Ibirapuera.

Estava tudo bem, até minha prima me chamar para passar o dia no clube onde era sócia.

Vi crianças correndo, brincando espalhadas por todo o clube e vi pais sentados e apenas olhando os filhos e não correndo atrás deles. Enfim, vi o paraíso.

Eu e meu marido tomamos uma decisão. Vamos ficar sócios do clube!

O título desse clube não era caro, mas esperamos o final do ano para pagar à vista. Enquanto isso ficamos indo como visitantes com a minha prima. Quase todo final de semana íamos almoçar com eles lá.

Enfim em Janeiro desse ano (2012) ficamos sócios.

As crianças se adaptaram  muito rápido e elas já sabem onde podem ir e onde não podem. Elas tem a coisa mais importante para uma criança…ESPAÇO.

Lá eles brincam nos parquinhos, na brinquedoteca, no gramado, na quadra de futebol e principalmente na piscina.

E eu e meu marido, conseguimos nos divertir também, fazer exercícios, comer e até tomar sol.

Além de espaço, o clube incentiva a prática de esportes e alimentação saudável. Isso está sendo bom para a família toda.

Nossa vida melhorou 150%. Indico para qualquer família, arrume um clube para chamar de seu.

1 comentário

Arquivado em Depois, Saúde

A cirurgia e a recuperação com gêmeos em casa

Como escrevi no post anterior, fiz uma cirurgia.

Fiz abdominoplastia e retirada da mama acessória.

Decidi pela cirurgia, pois após a gravidez gemelar minha barriga ficou com excesso de pele e por mais que malhasse não resolveria o problema e o músculo parecia estar fora do lugar(laceado).

Vou contar um pouco o que fiz e como foi se recuperar com gêmeos em casa. Por um lado nada fácil, por outro mães são mulheres mais fortes e isso significa que ficam boas mais rápido.

Se o pós operatório é complicado, imagina para quem tem filhos em casa. Mas preciso contar aqui que eles se comportaram muito bem. Não ficaram pedindo colo e entenderam que a mamãe estava dodói. Ganhei muitos beijinhos e carinhos.

Não vou mentir e falar que fui super tranquila para a sala de cirurgia, fui tensa mas disfarçando, orando mas brincando, certa de que queria fazer a cirurgia mas com muito medo de algo dar errado.

Depois que tive os meus pequenos, não posso nem pensar na ideia de algo acontecer comigo, isso gela a espinha. Então da para imaginar como eu estava quando cheguei ao hospital.

Bom, a cirurgia foi feita da maneira mais segura possível, no hospital, com anestesia geral e com médicos de confiança.

Acordei algumas horas depois já no quarto e vestindo a cinta que vai me acompanhar por longos 30 dias.

Acordei super bem, sem dor (analgésicos na veia) e feliz por ter acordado.

O pós operatório não é muito legal não. Sonda para fazer xixi, dreno pendurado na axila e na barriga, soro bombando remédio o tempo todo, a imobilidade, a botinha apertando a perna para evitar qualquer problema circulatório e muita dificuldade de se alimentar por causa da posição desconfortável.

Operei num sábado e sai do hospital no domingo. Antes de ir embora, a enfermeira me ajudou a tomar banho e colocar a roupa para sair. Lá pude ver o quanto seria difícil minha vida nos primeiros dias. Mobilidade zero.

Já em casa a coisa muda de figura, os remédios antes na veia, agora são tomados via oral e parecem não ter os mesmos resultados. A dor chega. A pele parece estar solta algumas vezes (na região da lipo), você sente o músculo apertadinho lá dentro como se alguém apertasse, acertar uma posição confortavel é quase impossível e quando acerta logo vem a vontade de fazer xixi e você precisa voltar depois e acertar novamente.

Nos primeiros dias senti muita dificuldade na hora de tirar a cinta, minha pressão caia imediatamente, tinha de tirar aos poucos e sempre sentada ou deitada e os primeiros banhos também foram horríveis. Depender de alguém para te levantar da cama já é ruim, mas depender de ajuda para tirar a roupa e tomar banho é péssimo.

Foi muito bom poder contar com a ajuda da minha mãe que além de cuidar de mim, deu a maior força com os pequenos. E a babá das crianças que por alguns dias virou a minha babá e me deu até banho e me vestia sempre que necessário.

Foram 4 dias complicados. Você acha que não vai passar, mas quando vê um dia acorda um pouco melhor e já levanta sem ajuda, consegue ficar sentada numa boa, já consegue brincar com seus filhos mesmo que de longe. Mas tudo isso com o dreno pendurado. “É  suco mamãe?” perguntou olhando o dreno.

O primeiro banho sem ajuda é uma delícia. Sentar para brincar com os filhos e ajudar nas refeições e voltar a coloca-los para dormir também. Na verdade o fato de ser mãe me ajudou na recuperação. Em 1 semana estava recuperada.

Depois da retirada do dreno e dos pontos a recuperação é melhor e mais rápida.

Após 1 semana já consegui sair de casa, ainda um pouco curvada. Sim, você passa a primeira semana andando bem torta inclinada para frente. Isso é estranho, só falta o andador.

Após 10 dias já fui liberada para voltar ao trabalho. 15 dias depois liberada para voltar a dirigir. Exercícios e carregar peso nem pensar, isso significa alguns dias sem dar colinho para os pequenos.

Essa semana já completei 15 dias. Posso dizer que estou pronta pra outra! Mas calma, é modo de dizer.

Me sinto bem, sem dor, sem roxo, não ando mais curvada, to bem menos inchada mas ainda não estou 100%.

O que ajuda muito é a drenagem, sinto que estaria bem pior se não estivesse fazendo.

O médico foca muito no pós operatório, é importante fazer tudo certinho para ter o resultado esperado.

Estou feliz! valeu a pena encarar o martelinho de ouro.

Verão me aguarde! =)

6 Comentários

Arquivado em Depois, Saúde

Martelinho de ouro

Bom, todo mundo diz o que acontece quando a mulher engravida.

Muitas vezes o peito fica flácido, ou menor, ou maior, ou caído mesmo.

A barriga fica um pouco flácida, as vezes com estrias e muitas vezes dá a impressão que o músculo não vai voltar para o lugar, mesmo que você passe o dia fazendo abdominais.

Fora isso, ficamos com alguma manchas na pele, unhas fracas, queda de cabelo, hemorróidas e muitas outras coisas.

Não estou desanimando ninguém a ter filhos, pelo amor de Deus. Só estou contando o que muitas vezes as pessoas escondem, as vezes ficamos infelizes com nosso corpo e isso não é pecado. Ter filho é a melhor coisa do mundo.

Mas não é por isso que depois de te-los, você precisa ficar como não gostaria. Afinal, além de mãe você é mulher e quer se sentir bem, bonita e atraente.

Depois da gravidez fiquei com muita dor na axila, depois de alguns exames descobri que tinha “mama acessória” (glândulas mamárias no lugar errado) estava cada dia mais dolorido e era necessário extrair.

Quando decidi que operaria desse problema, pensei “porque não já dar aquela reparada estética que tanto desejava?”

Depois de muito embaçar, decidi operar. Procurei um cirurgião plástico para fazer essa cirurgia e acabei me animando para dar uma desamassada na lataria. Sim achei o meu “martelinho de ouro”.

Não foi uma tarefa fácil, fui em vários médicos até decidir e tomar coragem. Depois que virei mãe fiquei medrosa. O fato de correr algum risco, me fez pensar muito se faria ou não a cirurgia, afinal quero morrer bem velhinha depois de conhecer meus bisnetos e não operando.

Quando comecei minha busca pelo médico, estava decidida a operar a mama acessória e colocar prótese nos seios. Mas no final das contas desisti da prótese e investi meu dinheiro na plástica da barriga. Na verdade minha vontade era já arrumar tudo, mas é muito muito caro. Precisava optar por uma das reformas. Escolhi a barriga. Na verdade decidi alguns dias antes, o que foi bom, pois assim não deu tempo de pesquisar muito a respeito e perder a coragem.

Mães de gêmeos sabem o que acontece com a barriga após uma gravidez gemelar.

Quem não vai acreditar são minhas amigas. Por quase 2 anos fiquei falando que colocaria mais peito e estava animadíssima com isso. E muitas delas saberão da novidade pelo blog e vão me matar…rs.

Fiz a cirurgia. Mas vou precisar de outro post para contar mais. A história é longa e a recuperação mais longa ainda.

6 Comentários

Arquivado em Depois, Saúde